Freelancer, uma luta diária

junho 15, 2017


Quando acabei a licenciatura em 2016, tinha noção de que a vida de um designer em Portugal não é fácil e muito menos na Madeira, mas passado um ano a luta continua a ser diária, de batalha em batalha, ou seja, de projecto em projecto. Aqui na Madeira quando acabamos o curso temos duas opções, um estágio profissional ou trabalhar como freelancer, eu optei pela última, mesmo sabendo dos riscos que essa decisão acarretava, mas não desisti e arregacei as mangas em busca de clientes, muitas vezes pensei em desistir, sou sincero, mas os meus sonhos sempre falaram e falam mais alto. 

Uma das coisas que mais faz-me pensar e duvidar da minha decisão é a falta de noção do público em geral em relação o Design, já perdi a conta de quantos orçamentos foram recusados e de quantas vezes pediram-me para trabalhar de graça, sim leram bem. As pessoas pensam que um designer não tem contas para pagar, alimentar-se ou vestir-se como os comuns mortais. Se eu for ao médico tenho de pagar a consulta ou se for cortar o cabelo tenho de pagar o cabeleireiro e o designer não tenho de pagar?! 

Pela minha experiência, os portugueses ainda acham que o Design é uma profissão menor e ligada às artes,  bem pelo contrário, é uma das áreas mais importantes, movimentando-se por vários segmentos, como a publicidade, o grafismo, os interiores, as novas tecnologias e até socialmente. Enquanto as pessoas não aprenderem a darem importância ao Design, nada irá mudar e cabe a nós designers, alterar a situação, impondo-nos e evidenciando o real valor da nossa profissão.



Visitem o meu novo blog sobre Design, Fotografia, Ilustração e muito mais, o Design in Paradise (aqui), conto com a vossa visita :)


Paulo Faria

You Might Also Like

0 comentários