DC | Wonder Woman

julho 26, 2017


A Wonder Woman ou Mulher Maravilha, apareceu pela primeira vez em 1941 na All Star Comics, criada por William Marston e desenhada por Harry G. Peter, apoiantes do feminismo e do movimento sufragista. A bela amazonas de origem mitológica, logo ganhou a sua própria revista em 1942, mas só 2 anos depois estreou-se na DC Comics. Ao longo destes 75 anos a personagem enfrentou altos e baixos, sofrendo muitas alterações, tanto fisicamente como na sua história, mas nunca perdeu a sua essência . Defensora e aliada da humanidade, lutou pela paz e pela verdade, intercedendo aos deuses pelos homens , valendo-se dos seus poderes super-humanos, integrou a Liga da Justiça ao lado do Superman e do Batman.

Estreou em Junho em Portugal a mais recente parceria entre a Warner Bros. e a DC Entertainment, o fantástico Wonder Woman de Patty Jenkins (The Killing), com Gal Gadot (Batman vs Superman: Dawn of Justice) como protagonista. O filme retorna às origens do mito numa ilha paradisíaca, mostrando a vida de Diana Prince (Gal Gadot), princesa das Amazonas e filha da rainha Hippolyta (Connie Nielsen), uma valente guerreira. Mas a tranquilidade da ilha acaba quando um avião cai no mar, o piloto Steve Trevor (Chris Pine) é salvo, relatando os horrores da Primeira Guerra Mundial e do avanço dos germânicos. As amazonas relacionam o conflito mundial com a lenda de Ares,  Deus grego da guerra, sem a permissão da mãe, Diana abandona a ilha com a esperança de derrotar Ares e alcançar a paz.


Baptizado como o primeiro filme protagonizado por uma super-heroína, o que não é bem verdade, a Wonder Woman é uma verdadeira heroína e amada por várias gerações, mas não podemos esquecer a Elektra da Marvel ou a Catwoman da DC, mesmo sendo personagens consideradas anti-heroínas. Uma produção que teimava em sair do papel, os fãs ansiavam por um filme da Mulher Maravilha há muito tempo, uma personagem que ficou conhecida do grande público pela bela Lynda Carter na série homónima da ABC de 1975, tornando-se um ícone de beleza e de feminilidade.

Gal Gadot mesmo com a sua inexperiência no grande ecrã, personificou na perfeição a Wonder Woman, um belo trabalho de composição da actriz, transmitindo o carisma e a credibilidade necessária à personagem, sem falar que fisicamente está irrepreensível, um óptimo trabalho de casting da produção. Na sua breve aparição em Batman vs Superman: Dawn of Justice, já era nítido o poder da actriz na tela, sobressaindo em relação ao restante elenco, incluindo os protagonistas. 


A produção errou na relação pouco profunda de Diana com Steve,  dedicando poucos minutos ao romance dos dois, faltou química ao casal, eu por exemplo não consegui torcer pelo casal ao longo do filme, não consegui criar uma afinidade. Não sou muito fã do Chris Pine (Star Trek), e mais uma vez não gostei da sua interpretação, encarnou um Trevor raso e trivial na minha opinião. 

Pecou também na descontextualização histórica, a trama acontece em plena Primeira Guerra Mundial e relata-nos a expansão do nazismo e das ideias antissemitistas dos alemães, algo que na verdade só ocorre na Segunda Guerra Mundial, um erro histórico inadmissível. Aliás na banda desenhada, as grandes histórias desta heroína, são originalmente passadas no período da Segunda Grande Guerra.


Ao contrário de outros filmes da DC não é um filme com grandes vilões, como os vilões icónicos do Batman, esse é um dos pontos fortes do filme, a personagem principal não é apagada em relação aos maus,  nunca perde o protagonismo nem o foco ao longo da trama. Ludendorff (Danny Huston) e Dr. Maru (Elena Anaya) assumem o lado do mal na história, ou seja, os alemães. Apesar das boas interpretações dos actores, os vilões nunca assumem grandes proporções na narrativa, remetendo-os ao papel secundário

Toda a trama mitológica à volta de Ares é interessante e complementa a história, personificando nos alemães toda a maldade da guerra. Realço ainda a bela fotografia da ilha paradisíaca, quase um Jardim do Éden, toda aquela beleza natural invoca misticismo e endeusa as cenas, contrastando com a cinzenta e esfumaçada Londres do início do século XX. Os momentos bélicos e as trincheiras também foram bem representados, aliados aos bons efeitos especiais da produção.


É sem dúvida o melhor filme em anos da DC, desde 2012 com o maravilhoso The Dark Knight Rises, não víamos um filme tão grandioso e espectacular da DC, menos sombrio, apelando às cores quentes em alguns momentos e com pitadas leves de humor. Um filme que invoca os valores feministas de maneira subtil e cirúrgica, passando uma mensagem de união feminina e de igualdade de géneros, afirmando um passo gigante na luta pela paridade feminina em Hollywood, com a escolha de uma mulher para dirigir um filme de super-heróis. Só desejo que este Wonder Woman seja o incentivo para outras heróinas ganharem o seu próprio filme no grande ecrã, como a Black Widow, a Supergirl ou a Mera, provando que não só de homens vive o universo de super-heróis.



Já viram? O que acharam?

Avaliação IMDb: 7.9
Avaliação do Blog : 9

Paulo Faria

You Might Also Like

14 comentários

  1. ainda não o consegui ver e, se já estava cheia de curiosidade para o ver, agora depois de ler a tua opinião ainda tenho mais.!

    não conhecia o teu blog mas já estou a seguir, gostei muito!

    beijinhos
    The Midnight Effect / Instagram

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho a certeza que vais gostar :) Obrigado pela visita e pelo elogio :) Bjnhs

      Eliminar
  2. Acredito que o filme seja bom, mas este vou ter de passar por não ser fã deste tipo de filmes. Quanto ao La La Land, como eu te entendo, por exemplo eu não gosto do CR, é bom jogador, sim, mas com o tempo, na minha opinião, tornou-se arrogante e convencido e eu gosto é de pessoas simples, é esse o facto que me faz não gostar dele. Mas as pessoas não aceitam isso, nem respeitam e crucificam-me. Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu adoro super-heróis, mas sei que não é para todos os gostos :) Compreendo o que dizes, as pessoas têm de aprender a respeitar opiniões contrárias, cada um tem direito à sua, não podemos impingir o nosso gosto pessoal aos outros :) Obrigado pela tua opinião e pela visita :) Bjnhs

      Eliminar
  3. Não conhecia o teu blog, mas já vou passar a seguir. Adorei a forma como contextualizaste todo o filme com o passado e outros aspectos relevantes, sem dúvida que me assim me cativaste a ver o filme e olha que não sou grande fã de filmes de super-heróis!
    Beijinhos,

    A Maiazita

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Maia :) espero que gostes do filme como eu gostei e obrigado pela visita :)

      Eliminar
  4. Oi Paulo! Apesar do vilão mais fraco eu amei o filme! Achei a Gal maravilhosa no papel da protagonista, mega carismática e emi o feminismo no longa! Não vejo a hora de conferir a Mulher-Maravilha na Liga da Justiça!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi :) também estou super ansioso para ver o Liga da Justiça. Obrigado pela visita :)

      Eliminar
  5. Oi
    que bom que gostou, estou louca para assistir o filme e a sua resenha foi a primeira a falar sobre a descontextualização histórica, gostei de ver essa opinião diferente,

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi :) eu como adoro história reparo nestes detalhes. Obrigado pela visita, Denise :)

      Eliminar
  6. Adorei este filme. os efeitos estavam muito bons e a banda sonora também. A atriz teve sem duvida um papel muito bom e representou-o bem!

    Não poderia escrever melhor texto sobre o filme do que tu! Parabéns! Adorei mesmo o post!

    Concordo contigo também na parte do romance, podiam ter tido mais alguma química ao casal. Beijinhos! Amei o post! Where I Belong

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Rute pelas suas palavras, é gratificante saber que gostam do nosso trabalho e incentiva-me a continuar :) Obrigado pela visita :)

      Eliminar
  7. Vi o filme e achei que a nivel de efeitos estava brutal! fizeram um bom trabalho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo a nível técnico está soberbo, um grande trabalho da equipa de efeitos visuais e da direcção artística :) Obrigado pela visita, Ellie :)

      Eliminar